Original 123

Notícias

Categorias: Valor Econômico

Justiça decreta fim da recuperação judicial da Alumini Engenharia

 

clip_image001

09/02/2018

clip_image002

clip_image004

Justiça decreta fim da recuperação judicial da Alumini Engenharia

Por Rodrigo Rocha | Valor

SÃO PAULO  -  A 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca de São Paulo decretou, na quarta-feira (7), o encerramento do processo de recuperação judicial da Alumini Engenharia. A companhia havia entrado com pedido de recuperação judicial em janeiro de 2015, com o plano sendo aprovado e homologado em novembro do mesmo ano. A dívida negociada com os credores foi superior a R$ 800 milhões.

Como explica Rodrigo Quadrante, advogado da Leite & Tosto, escritório que conduziu o processo de recuperação, a empresa entrou em recuperação judicial principalmente por conta da rescisão de contratos de prestação de serviços com a Petrobras.

Na época, a companhia atuava com obras e serviços ligados ao setor elétrico, de telecomunicações e de óleo e gás.

Primeira a sair

“Das empresas que entraram em recuperação judicial por conta do rompimento de contratos da Petrobras, a Alumini é a primeira a sair”, explica Quadrante, que cita empresas como Schain, OAS e Galvão Engenharia como outros casos que entraram em recuperação na mesma situação.

No plano, os credores concordaram com desconto de 30% sobre o montante e pagamento escalonado em 12 anos. A dívida trabalhista da companhia já foi equacionada. Nenhuma dívida foi convertida em participação.

O pagamento deve ser realizado com caixa da empresa e recursos que podem vir do processo de arbitragem movido contra a Petrobras.

Após o início da recuperação, a Alumini também decidiu alterar seu modelo de negócios, desenvolvendo agora projetos na área de energia e deixando o setor de óleo e gás.